A multiplicidade da Umbanda
Editorial 23/03/2016

A multiplicidade da Umbanda 

Por Victor Teixeira

A Umbanda é uma religião maravilhosa. Sou suspeito ao falar disso, pois no primeiro dia em que pus meus pés num terreiro de Umbanda (o mesmo que freqüento até hoje) me encantei, mas jamais me eximi do dever de todo umbandista de estudar e buscar o conhecimento. Aprendi muita coisa dentro do terreiro, mas naturalmente ninguém possui toda a verdade e assim fui buscar o conhecimento para além das paredes que cercavam o lugar onde eu me conectava com o sagrado. E foi ai que me deparei com a seguinte questão. Não há na Umbanda uma codificação. E assim cada terreiro tem suas verdades e suas teorias sobre as coisas, sobre Deus, divindades, orixás, guias, ritual. Como saber quem está certo e quem está errado? Depois de algum tempo eu descobri que essa é uma falsa questão pois a verdade está apenas em Deus e nossa maneira de cultuar o sagrado são apenas formas e não conteúdo. Aceitei então que a Umbanda tem sua unidade. Em todo terreiro de Umbanda você vai encontrar o caboclo, o preto velho e a criança, um altar, assentamentos, incorporação, cânticos. Mas também vai encontrar diversidade. Isso não faz da Umbanda uma bagunça. Qual religião que você conhece também não tem essa diversidade? Todas possuem. Entre os católicos você encontrará marianos, beneditinos, franciscanos. Entre os evangélicos luteranos, calvinistas, pentecostais e neopentecostais. Na Umbanda não seria diferente. Há muitas formas de classificar as diversas tendências. Umbanda tradicional, branca, esotérica, umbandomblé, omolokô, sagrada. Quem está certo e quem está errado. Todos estão certos e errados ao mesmo tempo. São apenas formas. Aquilo que não pratico no meu terreiro não significa que está errado. Apenas foi a forma que aprendemos. Portanto a Umbanda é múltipla e isso é muito bom. Pois assim, todo Umbandista pode escolher qual melhor forma de cultuar a Deus. Nós fazemos parte do Muda - Movimento Umbanda do Amanhã. Nenhum dos terreiros que fazem parte deste movimento funciona igual. Uns não possuem imagens nem atabaque. Outros são mais africanistas, outros mais kardecistas, outros mais católicos. Enfim a diversidade que existe na Umbanda é oriunda das diversas manifestações religiosas existentes no Brasil e que garantem a força da Umbanda.